Documento sem título
 
Buscar notícia:
 Colunas
- Página Principal  
- Charge do Dia  
- To de Olho  
- Classificados  
- Espaço Aberto  
- Informática  
- Papel de Parede  
- Piada do Dia  
- Parabólica  
- Bancos  
 Links
- Busca  
- Esportes  
- Email Gratuito  
- Horóscopo  
- Notícias  
- Facebook  
- Portais  
- Sites Uteis  
- Wikipédia  
- You tube  
 Serviços
- Boletim Pecuário  
- Configura Email  
- Downloads  
- Fale Conosco  
- Meu IP  
Tempo
Webmail
Destaque Social
 
- 23/10/2013
Entrevista: "O erro mais comum é achar que o pasto não precisa ser cuidado como uma lavoura"
O Workshop BeefPoint sobre Engorda a Pasto foi realizado no dia 17 de outubro, em São Paulo.
Reunimos quem melhor engorda boi a pasto, que é responsável por 90% do gado abatido no país. Conhecemos o trabalho dos melhores invernistas do Brasil, com apresentação de estudos de caso, troca de experiências e conhecimento, num ambiente de conversa e debate. Foi um encontro de discussões em alto nível, para conhecer quem tem feito um excelente trabalho no Brasil.

Para conhecer melhor quem tem se destacado na engorda a pasto no país, preparamos uma série de entrevistas com essas pessoas.

Confira a entrevista com Rodrigo Albuquerque, médico veterinário da Fazenda Buritis & Marca, em Jussara – GO.

Após trabalhar durante 10 anos no setor privado de nutrição, em cargos técnico-comerciais, Rodrigo Albuquerque assumiu o projeto de pecuária (recria e engorda) da família, estando nele há 7 anos.

Trata-se de um projeto em intensificação, baseado no conceito de produção de bois gordos a pasto, semi-confinamento e confinamento, com a característica marcante de ser anual. Eles trabalham com safra, igual à produção de laranja, cana, milho, soja etc. Eles identificam individualmente os animais no início da safra (01/nov) e para cada categoria de apartação eles têm um destino traçado, de modo que em novembro, já sabem o desenrolar zootécnico e financeiro, podendo aliar ferramentas de venda ao sistema de produção.

BeefPoint: Quais os maiores desafios para o pecuarista que trabalha com engorda a pasto?

Rodrigo Albuquerque: Os desafios vêm do fato que planta-se capim, cria-se boi e colhe-se carne. É muito mais complexo que agricultura, onde se planta milho e se colhe milho. No caso do boi, temos que interagir com 3 fatores de produção completamente diferentes, a saber: solo, vegetal e animal. A complexidade vem daí.

BeefPoint: Você poderia nos contar sobre os acertos, o que fez e deu certo no seu sistema de produção a pasto?

Rodrigo Albuquerque: Nosso principal acerto foi investir em técnicos especialistas da área, que têm base de conhecimento sólida, mas sobretudo vivência prática. Com isto, em cerca de 1 ano, dobramos nosso desfrute e nossa produção de @/ha.

BeefPoint: E o que deu errado, você poderia nos contar? O que você considera os erros mais comuns num projeto de engorda a pasto?

Rodrigo Albuquerque: O erro mais comum é achar que o pasto não precisa ser cuidado como uma lavoura. Achar que ele é um fator de produção capaz de suportar erros grosseiros. Ele cobra a sua conta, mas da pior forma possível: aos poucos e devagarinho ele te cozinha…

BeefPoint: Quais as maiores dificuldades enfrentadas com a mão-de-obra nesse setor em específico? O que tem sido feito para solucionar esses problemas?

Rodrigo Albuquerque: A dificuldade é de colocar na cabeça de uma pessoa com pouca instrução (via de regra) que capim é lavoura. Temos dado a base de conhecimento sobre o assunto, para que o funcionário possa raciocinar por si próprio e não dependa única e exclusivamente de nossas orientações.

BeefPoint: O que você fez em 2012/2013 que te trouxe mais resultados?

Rodrigo Albuquerque: Investir em assessoria técnica de pastejo.

BeefPoint: O que é o mais importante para ter sucesso na engorda a pasto?

Rodrigo Albuquerque: Entender que o ciclo de produção da safra de capim é muito curto e muito dinâmico, exatamente o oposto do que a grande maioria pensa.

BeefPoint: Quais são seus planos para 2014?

Rodrigo Albuquerque: Investir em reforma de pastagens e em sistemas de geração de informação zootécnica-econômica com precisão e rapidez. É o que chamo de painel de controle. Informações rápidas e precisas, sempre a mão, sobre o seu negócio.

BeefPoint: Você gostaria de participar de um programa de carne de qualidade, de gado criado a pasto, com certificação?

Rodrigo Albuquerque: Sim, estamos totalmente abertos para isto.

BeefPoint: Que recado você deixaria para produtores de gado a pasto?

Rodrigo Albuquerque: Cuidado se você acha que engorda a pasto é um processo lento e pouco dinâmico. Ao raciocinar em cima do conceito de que safra pecuária não pode ser bi ou trianual, você verá que a velocidade que o sistema de produção requer é absurdo.

Fonte: Famasul

Webmail
Publicidade
Enquete


© Todos os Direitos Reservados - ECONET - 2002 - 2007